Petrobras S/A

Sinusite: saiba o que é e como tratar

Nariz entupido e com secreção espessa, diminuição do olfato, tosse, febre, dor de cabeça ou na face. Sem dúvida você está com sinusite, certo? Nem sempre. Esses sintomas também são muito comuns nos casos de gripes e resfriados. A diferença está na sua intensidade e duração.

O resfriado costuma ter sintomas mais leves que duram em torno de 5 dias. Já na gripe, a intensidade e duração são mais longas (de 7 a 10 dias). Na maioria das vezes, a sinusite aparece após uma gripe ou um resfriado. Quando os sintomas deveriam estar diminuindo, eles persistem ou mesmo aumentam. A sinusite pode ser viral ou bacteriana, sendo que a bacteriana pode durar mais que 10 dias e apresentar secreção nasal amarelada ou esverdeada e também prostração.

Mas, afinal o que é a sinusite?

Sinusite é a inflamação da mucosa dos seios da face, que são cavidades ósseas que se comunicam com o nariz e se localizam em diversos pontos da face e atrás dos olhos. A inflamação obstrui os seios da face e impede a renovação do ar e a eliminação das secreções, propiciando a multiplicação de microorganismos. As secreções que antes ajudavam a lubrificar o nariz e a garganta, agora infectadas, podem dirigir-se ao pulmão e motivar outras doenças, como a pneumonia.

Tratamento
A sinusite pode ser aguda ou crônica. Pode ser causada por vírus, fungos ou bactérias.

O tratamento da sinusite varia de acordo com a sua classificação, que só pode ser diagnosticada por um médico.

Se causada por vírus, a lavagem nasal com soro fisiológico, várias vezes ao dia, associada ao uso de analgésicos ou anti-inflamatórios costuma promover alívio dos sintomas em poucos dias. No caso de sinusites agudas bacterianas, é recomendado o uso de antibióticos por período a ser determinado pelo médico. Em alguns casos de sinusite crônica, pode ser indicada cirurgia.

No caso de gripes, resfriados e processos alérgicos, algumas dicas podem evitar o surgimento de sinusite:

- Beba bastante líquido - pelo menos 2 litros por dia;
- Lave o nariz com soro fisiológico, várias vezes ao dia;
- Evite o ar condicionado que, além de ressecar as mucosas e dificultar a saída da secreção, pode disse¬minar agentes infecciosos que contaminam os seios da face;
- Evite ambientes empoeirados, com muita umidade, mofo e sem sol, assim como carpetes, tapetes, livros, cortinas, bichos de pelúcia, ventiladores sujos e fumaça de cigarro.

Fontes: Ministério da Saúde - http://bvsms.saude.gov.br, Academia Brasileira de Rinologia - http://www.rinologia.org.br, Fundação Otorrinolaringologia - http://www.forl.org.br, Fiocruz - http://www.fiocruz.br