Petrobras S/A

Que guias devem ser preenchidas nos casos de consulta eletiva sem

Se, durante uma consulta eletiva, for necessário solicitar exames ou procedimentos, deve
ser preenchida para isso uma Guia de SP/SADT.

  • Em que casos devem ser utilizadas as Guias de Consulta?

    A Guia de Consulta deve ser utilizada única e exclusivamente para consultas eletivas sem
    procedimento, mesmo que se trate de ambiente hospitalar, e constitui-se no documento
    padrão para cobrança do respectivo honorário.
    Em ambiente hospitalar, sempre que não se tratar de consulta eletiva, deve ser usada a
    Guia de SP/SADT (consultas de urgência/emergência).

  • Em que casos devem ser utilizadas as Guia de Serviços Profissionais/Serviços

    A Guia de Serviços Profissionais/ Serviços Auxiliares de Diagnóstico e Terapia (SP/SADT)
    deve ser utilizada para pedido de autorização (quando necessário) e para a cobrança dos
    seguintes tipos de eventos:

    - remoções;
    - pequenas cirurgias;
    - terapias: quimioterapia, radioterapia, diálise;
    - consultas com procedimentos;
    - exames;
    - consultas de referência;
    - tratamentos seriados: sessões de fisioterapia, fonoaudiologia, psicoterapia e terapia
    - ocupacional;
    - consultas de urgência/emergência;
    - solicitação de exame histopatológico em odontologia.

  • Em que casos devem ser utilizadas as Guias de Solicitação de Internação?

    A Guia de Solicitação de Internação deve ser utilizada para pedido de autorização de
    internação e de prorrogação de internação, em regime hospitalar, hospital-dia (day clinic), ou
    domiciliar.
    Nesta mesma guia são autorizados ou negados os pedidos de internação/prorrogação.

  • Guias TISS

    A Assistência Multidisciplinar de Saúde - AMS enviou, para cada credenciado, as guias TISS impressas pela Petrobras. Caso não tenha recebido as guias TISS enviadas pela Petrobras, você poderá imprimir, de seu próprio sistema, guias em formato TISS e encaminhá-las à Petrobras, através dos meios utilizados atualmente. Lembre-se de que as guias de faturamento, incluindo as guias de consulta, deverão ser impressas em duas vias, sendo ambas assinadas pelo beneficiário.

  • Em que casos devem ser utilizadas as Guias de Resumo de Internação?

    A Guia de Resumo de Internação deve ser utilizada para apresentação do faturamento da
    internação, nos casos de internações clínicas, cirúrgicas, obstétricas, pediátricas ou
    psiquiátricas, em regime hospitalar, de hospital-dia (day clinic) e domiciliar.

  • Em que casos devem ser utilizadas as Guias de Outras Despesas?

    A Guia de Outras Despesas deve ser utilizada nos casos de apresentação do faturamento,
    como instrumento de continuidade e complemento de folhas. Nela devem ser discriminados:
    materiais, medicamentos, aluguéis, gases e taxas diversas. Esta Guia só pode ser usada
    quando da existência de uma Guia de SP/SADT ou Guia de Resumo de Internação.

  • Em que casos devem ser utilizadas as Guias de Honorário Individual?

    A Guia de Honorário Individual deve ser utilizada para a apresentação de cobrança de
    honorários de serviços profissionais prestados em regime de internação, caso estes sejam
    pagos diretamente ao profissional.

  • Em que casos devem ser utilizadas as Guias de Tratamento Odontológico?

    A Guia de Tratamento Odontológico (GTO) deve ser utilizada para elaborar o plano de
    tratamento, autorizar procedimentos e faturar os procedimentos odontológicos realizados
    por cirurgiões-dentistas, tanto em consultórios quanto em clínicas odontológicas. Pode ser
    utilizada para transações de solicitação e/ou cobrança de procedimentos. Uma mesma Guia
    Tratamento Odontológico pode ser referente a faturamento parcial ou total. A Guia
    Tratamento Odontológico, no tocante ao plano de tratamento constante na guia, não poderá
    sofrer alterações ou inclusão de novos procedimentos. No caso de inclusão de novos
    procedimentos, deverá ser feita em uma nova Guia.

    A ANS disponibilizou, para uso opcional, o Anexo Guia Tratamento Odontológico – Situação
    Inicial, que tem como finalidade descrever a situação inicial do paciente. A Petrobras NÃO
    utilizará o referido anexo.

  • Que guias devem ser preenchidas nos casos de consulta de referência?

    A consulta de referência é aquela realizada por indicação de outro profissional, de mesma
    especialidade ou não, para continuidade de tratamento.

    Nos casos de consulta de referência deve ser preenchida a Guia de SP/SADT.

    Se for necessário solicitar exames ou procedimentos, deve ser preenchida uma segunda
    Guia de SP/SADT exclusiva.

  • Que guias devem ser preenchidas nos casos de consulta eletiva com

    Nos casos de consulta eletiva com procedimento deve ser preenchida a Guia de SP/SADT.
    Se existirem outras despesas com materiais, medicamentos, aluguéis, gases e taxas
    diversas, deve ser preenchida, também, a Guia de Outras Despesas.

  • Que guias devem ser preenchidas nos casos de serviços profissionais, exames e

    Para solicitar autorização (quando necessário) e para cobrar os serviços profissionais,
    exames e procedimentos em pacientes que não estejam internados, deve ser preenchida a
    Guia de SP/SADT.

    Caso, durante o atendimento, haja despesas com materiais, medicamentos, aluguéis, gases
    e taxas diversas, deve ser preenchida a Guia de Outras Despesas.

    Se, durante o atendimento, forem utilizados serviços de outros profissionais de saúde, cujos
    honorários necessitem ser cobrados em separado, deve ser preenchida uma Guia de
    SP/SADT
    adicional para cada profissional.

  • Que guias devem ser preenchidas nos casos de pronto-atendimento?

    Para solicitar autorização (quando necessário) e para cobrar os serviços profissionais,
    exames e procedimentos nos casos de pronto-atendimento, deve ser preenchida a Guia de
    SP/SADT.


    Caso, durante o atendimento, haja despesas com materiais, medicamentos, aluguéis, gases
    e taxas diversas, deve ser preenchida a Guia de Outras Despesas.
    Se, durante o atendimento, forem utilizados serviços de outros profissionais de saúde, cujos
    honorários necessitem ser cobrados em separado, deve ser preenchida uma Guia de
    SP/SADT
    adicional para cada profissional.

  • Que guias devem ser preenchidas nos casos de internações?

    Para solicitar autorização de internação e de prorrogação de internação, deve ser utilizada a
    Guia de Solicitação de Internação.
    Para solicitar autorização (quando necessário) para exames e procedimentos em pacientes
    internados, deve ser preenchida a Guia de SP/SADT.

    A cobrança dos serviços de profissionais de saúde que tenham atuado em procedimentos e
    exames solicitados através da Guia de Solicitação de Internação deve ser feita através da
    Guia Resumo de Internação. Nos casos em que os honorários necessitem ser cobrados
    em separado, a cobrança deve ser feita através da Guia de Honorário Individual, devendo
    ser preenchida uma guia para cada profissional.

    A cobrança dos serviços de profissionais de saúde que tenham atuado em exames e
    procedimentos solicitados através da Guia de SP/SADT deve ser feita na própria Guia de
    SP/SADT
    . Nos casos em que os honorários necessitem ser cobrados em separado, a
    cobrança deve ser feita através de Guia de SP/SADT adicional, devendo ser preenchida
    uma guia para cada profissional.

    A cobrança de despesas com materiais, medicamentos, aluguéis, gases e taxas diversas
    ocorridas durante o atendimento ao paciente internado deve ser feita na Guia de Outras
    Despesas
    , cujos totais devem ser transcritos para os respectivos campos da Guia de
    Resumo de Internação.

  • Que guias devem ser preenchidas no caso de atendimento odontológico prestado

    Tratamentos odontológicos realizados em pacientes internados devem ser solicitados e
    cobrados através das guias médicas:

    - Guia de Solicitação de Internação: para solicitar autorização do procedimento;
    - Guia de Resumo de Internação: para cobrar os procedimentos e serviços profissionais
    realizados;
    - Guia de Honorário Individual: para cobrar serviços profissionais no caso de conta
    desvinculada da instituição onde o serviço foi prestado.
    - Guia SP/ SADT: para cobrar exames realizados;
    - Guia de Outras Despesas: para cobrar materiais, medicamentos, aluguéis, gases e taxas
    diversas.

  • Que guias devem ser preenchidas no caso de atendimento odontológico prestado

    Os atendimentos odontológicos prestados a pacientes que não estejam internados devem
    ser solicitados e faturados na Guia de Tratamento Odontológico (GTO).

    Os exames histopatológicos necessários ao tratamento odontológico deverão ser solicitados
    e faturados na Guia de SP/SADT.

  • Que documentos deverão ser utilizados para auditoria odontológica?

    Os documentos utilizados atualmente para a realização e cobrança de auditoria inicial/final
    permanecerão os mesmos.

  • Que guias devem ser preenchidas no caso do Programa de Assistência Domiciliar

    As solicitações de internação domiciliar através do PAD devem ser feitas utilizando a Guia
    de Solicitação de Internação
    . A cobrança deve ser feita através da Guia Resumo de
    Internação
    , acompanhada da Guia de Outras Despesas. Para a autorização e cobrança
    de exames e procedimentos deve ser utilizada a Guia SP/SADT.

    As solicitações para autorização e a cobrança de serviços a serem realizados através da
    modalidade Atendimento Domiciliar do PAD devem ser feitas na Guia SP/SADT.

  • Instruções para Preenchimento dos Campos Obrigatórios

    GUIA DE CONSULTA

    Número do
    campo
    Nome do campo Observação
    1 Registro ANS Nas guias em papel impressas pela Petrobras
    ou Petrobras Distribuidora e nas guias
    disponibilizadas no site da Petrobras, é dado
    pré-impresso;
    Nas guias eletrônicas, ou nas guias impressas
    pelo credenciado diretamente do seu sistema
    próprio, preencher com o número 366871 (se
    Petrobras) ou com o número 354571 (se
    Petrobras Distribuidora - BR).
     2 Número da Guia  Nas guias em papel impressas pela Petrobras
    ou Petrobras Distribuidora, é dado préimpresso;
    Nas guias eletrônicas ou em qualquer uma
    das guias impressas pelo credenciado, essa
    numeração é de responsabilidade do
    credenciado, devendo, cada guia, ter um
    número único, não sendo permitida sua
    repetição, sob pena de não recebimento da
    guia. O número da guia deve ter formato
    exclusivamente numérico, sendo vedado o
    formato alfanumérico. 
     3  Data de emissão da guia Corresponde à data de
    geração/preenchimento da guia de consulta
    eletiva. 
       DADOS DO BENEFICIÁRIO
     4 Número da Carteira  O número da carteira compõe-se do número
    da empresa (01-Petrobras ou 04-Petrobras
    Distribuidora – BR), seguido da matrícula do
    titular, seguida do código do dependente
    (Empresa + Matrícula + Código Dependente)
    Exemplo: 01999999900 
     5 Plano  Nas guias em papel, impressas pela Petrobras
    ou Petrobras Distribuidora, e nas guias
    disponibilizadas no site da Petrobras, é dado
    pré-impresso;
    Nas guias eletrônicas ou nas guias impressas
    pelo credenciado, preencher com a sigla AMS. 
     6 Validade da carteira  Copiar da carteirinha da AMS. A Petrobras não
    se responsabiliza por atendimentos prestados
    a portadores de carteiras da AMS vencidas. 
     7 Nome  Copiar da carteirinha da AMS o nome do
    paciente. 
       DADOS DO CONTRATADO
     9 Código na Operadora / CPF /
    CNPJ 
    Preencher com o CNPJ da instituição ou CPF
    do profissional que realizará a consulta,
    conforme se trate de pessoa jurídica ou física,
    respectivamente. 
     10 Nome do Contratado  Preencher com a Razão Social ou Nome
    Fantasia caso se trate de pessoa jurídica.
    Caso se trate de pessoa física, preencher com
    o nome do profissional credenciado que
    efetuará a consulta. 
     11 Código CNES  Preencher com o código no Cadastro Nacional
    de Estabelecimentos de Saúde 
     20 Nome do profissional
    executante 
    Obrigatório quando o campo 9 for pessoa
    jurídica. Preencher com o nome do profissional
    que executou a consulta. 
     21 Conselho Profissional  Preencher com a sigla do Conselho Regional
    de Medicina – CRM. 
     22 Número do Conselho  Número de registro do profissional que
    executou a consulta em seu respectivo
    conselho profissional 
     23 UF  Sigla da Unidade Federativa do conselho
    profissional ao qual pertence o profissional
    que executou a consulta.